"É impossível viver só... Sorrindo"

sexta-feira, 16 de julho de 2010

Todo homem é folgado


O que leva um homem a se afastar dos filhos após uma separação? Por que eles acham que, depis do divórcio, podem ser irresponsáveis e agir como se fossem solteiros de novo?

É uma história comum. Numa separação os filhos ficam com a mulher. O sujeito não reclama. Vai no vácuo do desejo dela, que jamais admitiria a hipótese de não ficar com os filhos. Aí ele se descobre confortável nessa posição. Vai tirando paulatinamente o pé do acelerador. Vai ficando cada vez mais distante, menos presente, menos relevante. Deixa de participar. Deixa de influir, de opinar.

Vira visita. Uma visita rara e nem sempre desejada. Vira um estranho. Um forasteiro no seio daquilo que um dia foi sua família. Ele deixa de ser pai.

Às vezes nem é preciso haver divórcio para que esse afastamento aconteça. O pai está em casa, mas é como se não estivesse.

Paga as contas, senta no sofá, assiste TV, se tranca no banheiro. Os filhos sabem que ele está no quarto, no trabalho, no banheiro. Mas trata-se de uma figura masculina longíqua, inacessível. É como se os filhos pertencessem ao departamento da mãe. Como se o pai, convenientemente, tivesse de respeitar essa organização e, para não adentrar o território da mãe, falasse apenas o necessário com os filhos. E não se envolve emocionalmente com eles.

Nem sempre é assim. Tem muito pai que faz questão de estar presente. Se mora com a família, participa, senta à mesa e puxa conversa pergunta das coisas da escola. Distribui tarefas, faz planos, dá bronca, elogia.

Se não mora mais com a mãe, faz questão de se manter próximo, quer estar inteirado de tudo, participa da educação dos filhos, e às vezes até concorda em aturar o novo namorado da mãe só para oferecer aos filhos um ambiente mais harmonioso.

Mas o fato é que há um número enorme de homens que se desligam dos filhos- principalmente na separação.

E que acha que o divórcio equivale a uma volta à vida de solteiro, sem compromissos.

Tem cara, por exemplo, que decide mudar de carreira exatamente nesse momento. Uma coisa que as mães jamais fariam, por mais que detestem seu emprego atual, porque sabem que elas não podem faltar na hora de colocar comida dentro de casa. Os homens se dão esse luxo com mais facilidade. Muitos porque sabem que, em última instância, podem contar com elas.

As mulheres, ao contrário, não o fazem precisamente porque sabem que, não poderão contar com eles.

É curioso que isso aconteça mesmo quando os filhos são projetos decididos a dois por casais modernos. Porque será que existe essa diferenciação entre homens e mulheres no que toca à sensação de obrigação e de responsabilidade sobre o sustento dos e o bem-estar dos pimpolhos?

Como um pai que não paga pensão, não contribui com a escola e a comida dos filhos, pode tomar uma cerveja, ou comprar um sapato novo, ou levar a nova namorada para o motel é coisa que não consigo entender.

4 comentários:

  1. concordo com o titulo, e a imagem eh engraçada ateh :D

    ResponderExcluir
  2. pais ausentes em casa é uma situação cada vez mais comum hoje em dia, tsc. .-.'
    parabéns pelo blog. ^^
    Bjo.

    ResponderExcluir
  3. Não entendi, o texto começa com uma generalização e no meio dele se "arrepende"?
    Mas é sempre assim, a culpa é sempre do homem e todos eles aceitam calados. Enquanto continuar assim não sei o rumo que a sociedade moderna irá tomar.
    Recomendo ler o blog de Silvio Koerich pra conhecer o outro lado da moeda

    Abraço

    ResponderExcluir
  4. É mais cômodo ser um novo solteirão ou um pai adicionado as novas dificuldades causadas pela distância? Realmente o texto trata muito bem do que acontece, ótimo de ler. Abraço.

    Acesa lá? www.catarseonline.blogspot.com

    ResponderExcluir

Tradutor